contato@liderica.com.br

Apple, Google e IBM já não exigem diploma universitário para contratar.

Levantamento com empresas dos Estados Unidos mostra que muitas delas não tratam a formação acadêmica como requisito; entre elas estão Apple, Google e IBM.

Todas as grandes empresas de tecnologia contam com funcionários extremamente qualificados. Muitos deles se graduam nas melhores instituições de ensino do mundo. Mas isso não quer dizer que formação universitária é obrigatória: companhias como Apple, Google e IBM já não hesitam em priorizar experiências ou habilidades específicas no lugar de diplomas.

A constatação vem de um levantamento feito pelo Glassdoor, serviço online para busca de empregos. O site listou 15 grandes companhias norte-americanas — incluindo as três citadas aqui — que têm vagas em aberto para cargos avançados que não exigem, necessariamente, formação em universidades.

Isso não quer dizer que essas companhias abrem mão da qualificação. O que o levantamento da Glassdoor mostra é que, se o candidato possuir um conjunto de habilidades condizentes com o cargo, ele poderá ser contratado mesmo se não tiver diploma universitário.

A Apple, por exemplo, valoriza bastante a experiência do candidato, não importa se ele a obteve em um ambiente acadêmico ou em outras empresas. Já Joanna Daly, vice-presidente de talentos da IBM, contou à CNBC em entrevista no ano passado que a companhia leva em conta habilidades desenvolvidas em bootcamps, outros empregos ou mesmo por esforço próprio. Cerca de 15% dos funcionários da IBM nos Estados Unidos não têm formação superior.

O caso do Google é bastante interessante. Sergey Brin e Larry Page se conheceram na Universidade de Stanford quando estudavam para obter doutorado em ciência da computação. Eles praticamente criaram o Google dentro dos muros da instituição. Nos primeiros anos, eles trataram de fazer a companhia lembrar uma universidade, tanto na cultura interna quanto nos espaços físicos.

Essa abordagem ajudou o Google a atrair jovens talentos que vislumbravam a chance de fazer carreira em uma companhia com cultura interna não tradicional. Mas o nível de exigência era elevado: fala-se que, por muito tempo, o Google fazia questão de só contratar funcionários que viessem de universidades de primeira linha e que, além disso, tivessem notas altas.

Não é mais assim. Formação acadêmica continua sendo importante para o Google — na verdade, para a Alphabet como um todo —, mas já não é requisito para contratação. E não é de hoje: em 2014, Laszlo Bock, então vice-presidente de recursos humanos, explicou que o Google prioriza a capacidade cognitiva geral do candidato, não o seu quociente de inteligência.

“É a capacidade de aprender. É a capacidade de processar na hora. É a capacidade de reunir diferentes tipos de informações”, completou Bock.

Não considerar apenas diplomas nas contratações tem sido uma prática de boa parte das grandes empresas norte-americanas, mas parece ser mais importante para as gigantes de tecnologia: muitas delas têm dificuldade para preencher vagas e, no processo de busca por talentos, já perceberam que nem sempre currículo acadêmico impecável é sinônimo de bom desempenho profissional.

Com informações: CNBC.

Fonte: https://tecnoblog.net

0respostas em "Apple, Google e IBM já não exigem diploma universitário para contratar."

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lidérica

Nossa Missão é acolher, conectar e desenvolver mulheres empreendedoras em seus negócios e projetos pessoais através de uma rede de apoio online e presencial.

 

{ Sabedoria da Semana }

Quem está online

Não há usuários online neste momento

Vamos juntas!

X